6 de dez de 2010

Estética e interpretação no palco da vida



No meio do ano paramos tudo. Todas montagens, todos processos. Vários questionamentos foram levantados. E nas reflexões, buscando por respostas, começamos a construir novos caminhos. Um dos apontamentos era fudnamental: queríamos estudar. Criamos então o Núcleo de Estudo de Estética Teatral e a Oficina de Interpretação. Foram encontros muito proveitosos. Ainda precisamos trabalhar melhor a dinâmica do processo, mas ao longo desses quatro meses pudemos desenvolver uma percepção melhor do que é esse negócio que a gente quer fazer: teatro.
No Núcleo de Estudo de Estética Teatral fomos até lá na Grécia, no surgimento do teatro, e percorremos um longo caminho até a França de Molière. Não conseguimos chegar até os dias de hoje. Núcleo de Estética II e 2011, talvez?
Na Oficina de Interpretação não conseguimos ver tudo que queríamos. Pelo menos do que eu acredito que seria interessante. Trocamos uma idéia com o Stanislawski, estudamos como estudar um texto dramático e colocamos isso em prática. Um primeiro resultado disso pode ser conferido nos depoimentos que apresentamos recentemente no Espaço e no Caleidoscópio. O resultado de um outro exercício poderá ser visto neste domingo na apresentação que faremos no Teatro Municipal com a Oficina da Dança, "No palco da vida". Dividimos o grupo em duplas e cada uma delas escolheu um texto de um autor nacional para ser estudado e uma pequena cena ser montada. ficou assim:

O Rodrigo e a Natália com "Três esgares cômicos" de Luis Alberto de Abreu.


A Juliana e o Guilerme com "Dores de Amores" do Leo Lama, filho do Plínio Marcos.


O Lélis e a Bruna com "A degola" da Paula Chagas Autran.


A Giovanna e a Thalita com "A Dama de Copas e o Rei de Cuba" do Timochenco Wehbi.


A Carol e o Luan com "Jorginho, o machão" da Leilah Assumpção.


A Rose o e Celso com "Eles não usam black-tie" do Gianfrancesco Guarnieri.


E A Júlia e o Danilo com "Quando as máquinas param" do Plínio Marcos.


Também tem a Gabriela e Analu com "Brutal" do Mario Bortolotto, mas as duas são de açucar e não foram no dia que a gente tirou as fotos porque tava chovendo.


Dia 12 apareçam lá pra ver todo esse povo, além do pessoal da Iniciação e o pessoal da Oficina da Dança!

2 de dez de 2010

NOS PALCOS DE BOTUCATU


Neste final de semana tem estréia no Teatro Gino Carbonari. Os alunos do curso de teatro apresentam "A Farsa da Boa preguiça", de Ariano Sussuana. A direção é da Juliana Spadot e no elenco vários notívagos e burlescos.

Danilo Batista, Thalita Lanças e Lélis Luciano


A FARSA DA BOA PREGUIÇA

Elenco
Lélis Luciano, Thalita Guerreiro Lanças, Bianca Bosco, Bruna Balbi, Laís Venturini, Andressa Antero, Rodrigo Ribeiro, Danilo Batista, Giovanna Hernandes, Guilherme Mendes Muniz.

Iluminação
Juliana Spadot e Rodrigo Ribeiro

Produção e edição de vídeo
Guilherme Muniz, Johnny Faustino e Rodrigo Ribeiro

Operação de som
Julia Coelho

Direção e adaptação
Juliana Spadot

Dias 03 e 04 de dezembro, 20h
No Teatro Gino Carbonari
Ingressos 5 Reais
Informações: 3815-8293




No final de semana seguinte os espetáculo "No palco da vida" reunirá os Notívagos Burlescos e a Oficina da Dança no Teatro Municipal para o encerramento de nossas atividades de 2010. No palco teremos cenas com os participantes da Oficina de Iniciação Teatral e da Oficina de Interpretação da Associação Teatral Notívagos Burlescos e coreografias de Ballet, Dança Contemporânea, Sapateado e Jazz da escola Oficina da Dança. A apresentação será no domingo, dia 12, 20h e os ingressos terão o custo promocional de 10 Reais.

Pessoal da Oficina de Iniciação